São Brás é festejado em Trancoso

Entre os dias 31 de janeiro e 3 de fevereiro, Trancoso festeja mais um Padroeiro: São Brás. Nascido onde hoje se localiza a região da Capadócia, por volta do século III d.C., Brás de Sebaste é conhecido como o Santo protetor das enfermidades da garganta. São Brás foi um médico cristão e curava não apenas o corpo, mas trazia a cura da alma aos que o procuravam, já que por muito tempo viveu isolado e em constante oração. Sua fama de santo se espalhou e por aclamação popular tornou-se bispo. Por professar a fé cristã, o mártir foi perseguido, preso, torturado e decapitado (em 3 de fevereiro de 316 d.C. – data em que se comemora o santo).

Seu mais famoso milagre deu-se na prisão, quando uma mãe aflita levou o seu filho que estava quase morrendo com uma espinha de peixe atravessada na garganta. São Brás após olhar para os céus, rezar e fazer o sinal da cruz em sua garganta, viu a criança milagrosamente se curar. Sua imagem icônica o mostra com duas velas, que faz referência aos amigos que levavam de presente este artefato para mantê-lo com luz e aquecido no cárcere.

PROGRAMAÇÃO

A festa contará com tríduo nos dias 31 de janeiro a 2 de fevereiro, iniciando às 19h e seguido de missa. Já no domingo, dia 2, após o tríduo acontecerá a abertura da festa, às 21h, com Samba de Couro. O dia de programação mais extensa será no Dia de São Brás (3). Durante toda a noite – das 0h às 5h -, ocorrem apresentações musicais, sendo finalizado pelo Samba de Couro, enquanto é trazido o Mastro Novo. Entre 8h e 12h, é a vez da comunidade preparar o almoço, para das 12h às 14h serem servidas as refeições.

Na festa as crianças também têm vez. Entre 14h e 16h, os organizadores prepararam brincadeiras para as crianças. Já para os adultos, às 16h haverá a missa festiva; entre 17h e 17h30, Procissão e Subida do mastro e às 18h, o encerramento da festividade com a Dança do Moribundo.

BOX: CURIOSIDADES

Como São Brás e São Sebastião se tornaram Padroeiros de Trancoso

Trancoso foi fundada em 1558, era uma vila jesuítica, cujo padroeiro era São João Batista. Segundo historiadores e moradores antigos, após a coroa portuguesa expulsar os jesuítas dos seus domínios (incluindo o Brasil), em 1759, a vila ficou com poucos representantes da igreja. Os padres, com muitos vilarejos para visitar, só iam ocasionalmente, como nas festas dos padroeiros.

Sendo São João o padroeiro de Trancoso, celebrado em junho, um período chuvoso, os padres muitas vezes não conseguiam chegar a essas estâncias afastadas devido à má qualidade das estradas. Suas visitas eram mais comuns no verão e para que houvesse celebrações quando lá estivessem, começou-se a celebrar os santos desse período. Assim iniciou-se a tradição dos festejos de São Brás e São Sebastião, que hoje fazem parte da identidade cultural de Trancoso.

A campanha” Meu destino é Bahia” supera 11 milhões de impressões nas redes sociais

Ler matéria

Lei Aldir Blanc é aprovada e beneficia Cultura

Ler matéria

Plano Estratégico para retomada da economia em Porto Seguro é apresentado hoje

Ler matéria

Veja também

Secretaria de Cultura e Turismo realiza Censo Cultural

Ler matéria

Ação coordenada neste domingo (14) visa fomentar turismo baiano

Ler matéria

Sectur, Saúde e empresários se unem para construir Protocolo para Eventos

Ler matéria